Páginas

27.9.12

Metamorfose


Eu tinha tantas palavras, tantas coisas para dizer que não foram e que eu sei que não serão ditas. Tanta coisa mudou, eu mudei, você me fez mudar, hoje sou completamente outra e talvez seja por isso que você tenha resolvido partir, ou não? Mas deixa eu te contar uma coisa? As pessoas mudam! Elas estão em uma constante transformação e ninguém pode mudar isso. Os motivos? Esses são vários, mas em geral, acho que uma pessoa muda quando sofre, quando se engana com alguém e quando espera demais, ela sofre, mas aprende. Foi assim comigo, foi assim com você, vai ser assim com todo mundo.
Só não me peça para voltar a ser quem eu era. Não posso mentir, eu não sou mais aquela menininha inocente e indefesa que você conheceu há dois anos, eu cresci, a vida me ensinou muito e em muito pouco tempo, me tornei mais seletiva, mais desconfiada, mais dura, hoje poucas coisas conseguem me surpreender, porém, eu consigo me entregar totalmente a aqueles que conseguem estancar um sorriso de meu rosto.
Uma coisa eu posso te afirmar, sou outra sim, mas não perdi minha essência. Meu estilo mudou, minhas ideias, as pessoas com quem ando, mas aquele sentimento ainda esta guardado aqui, se recuperando aos pouquinhos de uma ferida mal cicatrizada, uma ferida aberta. Mas meu querido, não se preocupe. Eu aprendi a lidar com essa dor. Aprendi principalmente a não sorrir se dói. Não vou me enganar mais, afinal, de que vale sorrir para os outros e chorar para o meu travesseiro?  A quem eu vou enganar? Porque a mim é que não.
Não te peço que fique, mas te imploro que aceite a pessoa em que eu me tornei. Eu sou uma daquelas pessoas que depois de tanto quebrar a cara sofreu uma metamorfose, a tal metamorfose ambulante. E quer saber? Eu sou mais feliz assim, do jeito que estou agora, sendo transparente com meus sentimentos e com aqueles que eu amo. Um arrependimento? Não ter te dito àquelas palavras que ainda estão aqui, se aquietando aos poucos...

                                                                                                

1 comentários:

  1. o texto ficou muito bom. mas a questão não é a mudança em si, e sim como ela machuca dependendo da situação.

    ResponderExcluir