Páginas

11.9.12

Garoto dos Olhos Claros.

         Eu era a garota sonhadora e solitária, eu não acreditava no amor verdadeiro, achava que os casais eram melosos e que a dor da perda era um completo exagero. Na verdade, eu nunca havia amado, não conhecia essa força que atrai duas pessoas e as uni como se fossem um só ser, eu não havia amado até ele de repente aparecer...

         Ele veio no momento certo, me encantou com palavras doces e sinceras, me enfeitiçou com  seus lindos olhos verdes e me apresentou a minha nova eu, a uma garota romântica, boba, apaixonada, sorridente e segura, um lado meu que eu não conhecia e não sabia que era possível existir.

        Eu finalmente fui feliz, eu sonhei, fiz planos, chorei durante brigas e sorri depois das reconciliações, e quando tudo estava perfeito e eu não acreditava que alguém era mais feliz que eu, ele se foi, e eu conheci aquela dor da perda, e descobri do pior jeito possível que aquilo não era exagero.

         Muitas vezes, eu me pergunto: como uma pessoa aparece de uma hora para outra, abala toda uma estrutura e vai embora? Mas há muito mais no amor que o próprio amor. Descobri isso com ele, isso e várias outras coisas.

         Aprendi que não adianta tentar prender o que tem que partir, aprendi que o amor é uma aventura, um momento único que não foi feito para durar para sempre, e sim para ser vivido intensamente enquanto existe. Aprendi que temos que nos entregar a um sentimento de forma verdadeira para não sofrer.

          Aprendi que as pessoas entram em nossas vidas por uma razão, elas ficam o tempo necessário e vão embora. Aprendi que o amor pode sim sobreviver a grandes distâncias  e que jovens podem amar sim, e que talvez o primeiro amor seja mesmo inesquecível, único e incomparável  E principalmente, aprendi que mesmo quando as coisas acabam, por terem se tornado tão especiais, elas se eternizam.

           Foi ele, o garoto de fala mansa e olhos claros que me ensinou isso.



        
                                                                                  

3 comentários:

  1. Assim como o nome do blog...
    Viva a aula de química!
    Isabel!
    (queria ser a primeira a comentar seus posts)

    ResponderExcluir
  2. E viva a aula de quimica shashaushaushau

    ResponderExcluir