Páginas

23.9.12

Tempos Que Não Voltam Mais


Nossa vida é feita de fases, nós nascemos, crescemos aos pouco, amadurecemos, procriamos, envelhecemos e deixamos isso tudo para conhecermos um lugar melhor. Dizem que a melhor fase da vida é a infância, e eu escuto constantemente a frase “queria voltar no tempo e ser criança novamente, onde minha única preocupação era decidir com qual cor eu pintaria meu desenho”.
Para cada época de nossa vida vão surgindo novos problemas e preocupações, mas com o tempo esses problemas vão ficando mais difíceis, naquele tempo eu era apenas uma criança, pura em minha inocência e não fazia ideia do que viria dali á alguns anos, então para mim, pentear os cabelos de minhas bonecas, pintar meus desenhos, cantar cantigas de roda, pular amarelinha e correr atrás de meus colegas era um problema.  E como eu tenho saudade disso...
Eu também queria voltar no tempo, nos dias de domingo, era nesse dia da semana em que minha família toda se reunia para o almoço, eu recebia vários apertos em minhas bochechas enormes e ouvia de minhas tias “nossa, como você cresceu e esta se tornando  uma mocinha  linda”, mas eu sabia que isso não era verdade; depois vinha o café, e quando todos iam embora eu me sentava na cadeira de balanço de minha bisa e ela me ensinava novos pontos de crochê.
Tenho saudade principalmente de correr sem pensar no que aconteceria se eu caísse, meus ferimentos eram apenas externos, e doíam somente na hora, depois eu já não me lembrava mais daquelas dores, e elas se tornavam cicatrizes.
Lembro-me da primeira vez (e a única) em que cai de bicicleta, aquele tombo me deu uma de minhas muitas cicatrizes na perna. Pode parecer estranho, mas também sinto falta de brincar com os meninos de carrinho, e de não dar a mínima importância para a minha aparência, também sinto falta de sempre poder correr para os braços de minha mãe quando sentia medo, de certa forma aquele colo me acalmava.
Hoje eu sei que aquele tempo não volta mais, mas também sei que aproveitei muito. Aquela garotinha bagunceira, criativa, tagarela, moleca, curiosa e meiga foi a base para que eu me tornasse a pessoa que sou hoje.
 


 “Esse texto faz parte da blogagem coletiva promovida no Depois dos Quinze.
 
                                                                                          Ana Eliza.

 

4 comentários:

  1. ai ai nem me fale viu a infancia querida era uma parte boa da minha vida mas quero acreditar que agora é a melhor fase kkkk meu temos o mesmo layout kkkk lol gostos parecidos bjoo

    sonhos-perdiidos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Nossa carol, também foi uma parte boa na minha vida... Que legal, haha seu blog é muito bom, amei seus textos :D Parabéns linda!!!

    ResponderExcluir
  3. :t awm super fofo,gostei do seu blog szz
    da uma passadinha no meu? cupcakezinhoos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. obrigada linda :D aaah também gostei do seu, que vontade que me deu comer fondue com aquelas fotos *-*

    ResponderExcluir