Páginas

19.10.12

Diferentemente Igual

 

Ok, uma apresentação mais formal, afinal vocês precisam conhecer as pessoas que escrevem o blog. Bom, me chamo Ana Eliza Martins Dos Santos, tenho 15 anos, um irmão loiro de 4 anos e estou no primeiro colegial de uma escola em que não me encaixo.  Sou apaixonada pelo que a maioria tem um grande pré-conceito, pela diferença; o diferente me atrai. Não gosto do comum e não tenho vergonha de conversar com pessoas de aparência louca, na maioria das vezes elas tem uma mente aberta, cheia de coisas bacanas e não fúteis, uma visão totalmente ampla da vida, e por isso me identifico.
Já sofri por coisas absurdas e achava que ninguém chorava mais do que eu, também já vivi momentos únicos dos quais tinha certeza serem apenas meus, mas tantas e tantas outras pessoas são assim. Eu já amei, e tive a sorte de ser amada. Meu pior defeito é a dificuldade de perdoar, é difícil Admitir isso ,mas eu sou uma pessoa assim, não sei perdoar fácil, e infelizmente não esqueço o que fazem comigo. O que eu mais amo fazer é escrever (ah, jura?), tenho paixão pela escrita, e desabafo tudo aquilo que há dentro de mim em folhas de papel em branco. Escuto música 19 horas por dia, no resto do tempo estou tempo aula.
Considero-me um quebra cabeça, poucas pessoas conseguem me desvendar, e muitas desistem no meio do caminho e me espalham em pedaços pelo chão. Não as culpo, não sou uma pessoa fácil, nunca fui. Eu mesma não me suporto as vezes, meu humor é totalmente bipolar e minhas emoções vivem a flor da pele, choro com uma facilidade imensa e tenho um medo que me domina, meu medo não é comum, me apavoro com o simples pensamento de sentir medo, é o tal do medo de sentir medo, que é pior do que o próprio medo em si. Isso me impossibilita muito, e é uma coisa que estou tentando mudar.
Também já quis voltar no tempo para que meus problemas fossem a indecisão de qual vestido usar na boneca ou se chupava bico ou mamadeira, mas a vida seguiu, eu cresci, me tornei na garota que sou hoje, confesso que doeu crescer, não foi fácil, mas não trocaria o que tenho e os que tenho hoje pelo que e por quem já tive. Quero viver até depois dos 100 e fazer alguma difença no mundo. Meu maior desejo é ser livre!
Sou meio maluca, como puderam perceber. Sou desesperada, chata, implicante e exageradamente carinhosa, apaixonada por pessoas, livros e cidades antigas. Meio mãezona da turma, me preocupo, cuido e protejo com unhas e dentes as pessoas que amo. Me considerava muito diferente de todos, mas querem saber? Eu sou igual. Enfrento os mesmos problemas que as outras adolescentes, gosto mais ou menos das mesmas coisas e prefiro pessoas mais velhas. Vocês também, não é? Sejam bem vindas, somos diferentemente iguais!
 
 

0 comentários:

Postar um comentário