Páginas

8.10.12

Vai




 Sua voz tinha mesmo que sair da reprodução aleatória seguida de You (The pretty reckless)? Tinha mesmo de lembrar-me que agora eu estou em suas mãos, enquanto você se mantém tão longe, sem nenhuma chance de voltar? Mas eu não quero que você volte. Quando a gente aprende a viver sem determinada pessoa a vida se torna mais fácil, mais suportável. É verdade que antes eu via sentido em tudo, sentia uma imensa alegria apenas por aquela singela mensagem de bom dia, que depois de algum tempo passou a se tornar obrigação, não vontade. Talvez meu erro tenha partido daí, ver sentido em tudo. A vida é tão curta, tão boa, tão linda para que a cada nova pessoa, oportunidade, momento, eu fique procurando um sentido. Não há sentido algum nisso. Eu tenho é que valorizar, fazer de cada novo momento único e inesquecível, fazer das coisas eternas.
A voz lembrou-me tanta coisa, das noites em claro falando nada e ao mesmo tempo tudo, das brigas, dos choros, de quando nós cantávamos juntos, mas também me lembrou da pessoa que eu era, presa a determinada pessoa como eu nunca quis ser, presa em um futuro incerto que para mim era totalmente certo, meus olhos, minha mente, tudo estava contra mim, eu me deixei levar por um sentimento ao ponto de não ver mais nada, ao ponto de me esquecer de tudo, tudo mesmo. Ao terrível ponto de dizer que eu só precisava de você. Ai eu menti, mas na hora não sabia que era uma mentira. Naquele momento eu achava que precisava mesmo somente de você, que só precisava fechar os olhos e te imaginar ali, só precisava ouvir sua voz no fim do dia. Fui comandada por minha própria outra eu, uma eu que surgiu junto com tudo isso.
Ainda sinto uma tremenda dor aqui dentro, o seu nome ainda me causa arrepios, mas já não sei ao certo se isso é bom ou ruim. Quando olho para trás e me vejo eu fico feliz por ter me tornado em quem sou agora, sofri uma mudança rápida e intensamente dolorosa, mas valeu a pena. Hoje, quando penso em você ainda sinto saudade, eu era uma completa robô, mas era feliz daquele jeito, e eu tinha você. Isso acabou, te perdi, e agora eu te peço que vá. Vai que eu estou te deixando ir, você já se foi, eu sei, mas dessa vez é de dentro de mim. Vai que meu cérebro enfim se libertou, vai que não dependo mais daquela voz, vai que eu posso ser feliz sozinha.


 
 

0 comentários:

Postar um comentário