Páginas

18.11.12

Maravilhoso Tempo


Coloquei a roupa que mais gosto, maquiei-me e sai. Estava pronta para dançar a noite inteira, até não aguentar mais o salto, mas ai eu te vi... Não o reconheci de primeira, você está realmente diferente. Cadê aquele garoto gordinho que me enchia o saco toda terça e quinta e só falava de Naruto? Você veio até mim, não foi como nos velhos tempos, naquele momento, eramos apenas dois amigos que estavam a muito tempo sem se ver e as mudanças eram completamente visíveis.

Aquele garoto sensível que havia sido meu primeiro amor foi substituído por um jovem jogador de basquete que cresceu vinte centímetros e estava com, no minimo, dez quilos a menos. Graças a Deus você e não fala mais de Naruto. Seus assuntos agora são outros, você tem foco, e me surpreendeu por isso. O papo acabou e você foi para o outro lado da pista, mas trocamos olhares praticamente o tempo todo.

O DJ começou a tocar, dancei e fechei uma rodinha de amigos, via você me olhando a toda hora, mas somente quando Titanium começou a tocar foi que você veio até mim. Coincidência ou não, está é minha música preferida, e o destino se encarregou de toca-la quando estávamos juntos. No meio da dança você me puxou, olhou-me nos olhos e sorriu. Gostei daquele sorriso, era sincero, e lembrei-me de como aquilo me fazia falta. Sua mão esquerda na minha direita. Sua direita na minha nuca. O som. A fumaça. A multidão. Sua respiração quente. Seus olhos fixos nos meus. As lembranças de um passado distante. Meu coração acelerado. Meus olhos se fechando. Você se aproximando. Foi...

Foi incrivelmente normal e fácil, mas não por isso deixou de ser bom, pelo contrário. Foi único! Nosso amor de infância não havia sido concretizado com um beijo até aquele momento, e anos depois isso veio a acontecer. É verdade, o tempo é magnificamente perfeito, faz com que as coisas aconteçam em seu devido momento, e a espera as tornam ainda mais especiais.

Demorei para abrir os olhos, meu medo de que aquilo tivesse sido um sonho era imenso, mas foi real, completamente real. Conforme fui abrindo os olhos via seu rosto, muito próximo do meu, sorri de um jeito que não fazia a muito tempo e você sussurrou em meu ouvido- " Você não mudou nada, sabia?" Não entendi de inicio, mas acho que é verdade. Continuo procurando um amor, continuo sonhando, escrevendo... Apenas me protejo com uma grossa camada de rebeldia, me faço de durona apenas para não correr o risco de sofrer de novo. Mas senti que não precisava de proteção com você... Não naquele momento...

Saímos do salão, e por pura coincidência ou destino, o céu estava todo estrelado e a lua completamente cheia. Lembrei-me que ultimamente, toda vez que olhava o céu via a lua minguante, sem sua outra metade. Mas ontem não, ontem ela estava cheia. Se completou assim como nós havíamos nos completado naquela pista de dança.








6 comentários: