Páginas

24.1.13

Eu voltei

Eu voltei, atravessei a rua e finalmente passei naquela esquina, aquela em que nós costumávamos tomar café e comer meu sanduíche preferido. Voltei a sentar no banco onde havia sombra, embaixo da árvore em que você gravou as nossas iniciais. Voltei e revivi os sonhos, as promessas, revivi um futuro sonhado por ambas as partes. Um futuro que se perdeu no presente e não será vivido, e isso me dói. Sabe, eu cansei de escrever em terceira pessoa, cansei de falar de sentimentos usando Ela. Na verdade esses sentimentos são meus, sempre foram... 

Confesso, ouve um tempo em que eu não fazia nada a não ser chorar e sentir raiva, mas o tempo passou, trouxe-me uma maturidade, uma nova forma de ver a vida, um novo lado das coisas. Eu não sinto mais nada de ruim, pelo contrário, quando penso em você sempre me vem as coisas boas que passamos juntos, aquelas que pertencem somente a nós dois e que nada conseguirá mudar. Não voltei para retomar o passado, foi mesmo para revive-lo e criar coragem para enfrentar o futuro.

Eu mudei! E tenho certeza que você também. Nossas vidas por um momento se cruzaram, nós formamos um laço lindo que foi desfeito pelo destino, pelas coisas da vida. Surgiram oportunidades que nos levaram a rumos diferente e olha, eu não me arrependi. Eu te perdi, é verdade, mas quem ainda acredita que a melhor escolha não nos tira nada? Ha sempre uma perda em cada escolha feita, e nós perdemos um ao outro em troca de um futuro. Se valeu a pena ou não somente o tempo irá dizer.

Se lembra daquela noite? Aquela de despedida? Nós viemos a esse mesmo lugar, sentamos nessa mesma praça em frente ao barzinho e olhamos as estrelas. Tentamos conta-las, mas como sempre, foi em vão! Conversamos sobre o que nos esperava daquele dia em diante; eu ia para uma cidade grande sozinha e você seria o novo gerente da sua loga de games favorita. Como é estranha a vida! Ela nos dá e tira sem que possamos fazer qualquer objeção.

Acontece que meus dias foram cinzas e doeu, mas junto com isso veio o entendimento. Eu era jovem demais, mas a vida me mostrou que antes de recebermos algo teremos que aprender a lidar com muitas coisas e olha, aprendemos a lidar com a dor, com a distância e com o amor. Soube que você está bem, feliz... E eu fico realmente bem em saber que sua vida deu certo. Esse barzinho, aqui em frente, guarda as nossas histórias. Aquele beijo se eternizou em nossos lábios, e a distância se formando entre nossos dedos também. A nossa arvore guardará lembranças especiais, de dias quentes e  frios, noites de conversas e tardes reclamando da vida, mas principalmente guardará o amor. Eu voltei, e agora, já posso seguir em frente. 



7 comentários:

  1. Olá Ana!
    É necessario que implante a barra no teu blog!

    Obrigado e até!

    http://www.guerranopapel.com/

    ResponderExcluir
  2. Que lindo seu texto!

    http://m-demarcela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que fofo esse texto, realmente amei e achei tão verdadeiro, sempre temos que seguir em frente né? Mas parece que se fosse real esse texto eu diria "vocês ainda vão ficar juntos" :3
    http://theclassicblack.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu texto. Passei por algo parecido.
    Estou seguindo.
    Beijos, Liliane.

    lileh-likes-coffee.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Acabei de conhecer seu blog e já fiquei encantada. Parabéns, você escreve muito bem.

    http://helofinato.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Triste isso. Algo que estou passando agora. ):

    Beijos
    Luíza
    http://cademeuchapeu.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Nossa, gamei no seu texto!
    Já passei muito por isso, dói as coisas não darem certo, e você ainda ver que a pessoa está seguindo sua vida...mas como dizem tudo o tempo cura! E dor de amor passa mesmo, graças a deus!

    Beijos,
    Vivi
    http://maniadeguria.com.br

    https://www.facebook.com/Maniadeguriaporvivibecker

    ResponderExcluir