Páginas

11.2.13

As Etapas do Fim

Dormir é quase sempre o maior desejo de quem sofre. A cama parece ser um paraíso,  filmes de casais apaixonado estão empilhados por ordem alfabética em cima do criado mudo e pipoca... Esse é o atual estado do meu quarto. Sem falar nas roupas completamente amarrotadas que estão jogadas para todo lado. Sete meses depois e eu finalmente resolvo acabar com tudo, desci da cama decidida a fazer o serviço completo dessa vez, definitivamente. Fotos, mensagens, emails, música... Tudo o que me lembre você. Doeu reler todas as mensagens, todos os "para sempre" ou os "não esquece nunca que eu te amo, baixinha". Doeu mais ainda saber que aquilo pode não ter sido verdade ou, talvez, que o sentimento ali descrito tenha passado. Apagar a primeira mensagem foi doloroso, a segunda ardeu e por ai em diante, mas depois da décima já doía menos, e quase 300 mensagens depois eu não tinha mais nada que me ligasse a você, pelo menos no celular. Droga, agora é a pior parte, deletar as fotos e eu sei que, querendo ou não, irei vê las em miniatura na tela do computador. Aquela em que seu olho está tão verde quanto a cor de sua camisa, e tem também a que você está com uma blusa roxa e chinelo amarelo. Eu sempre amei aquela foto... Seu sorriso, o cabelo grande bagunçado, exatamente do jeito que gosto, o alargador, os olhos... Eu sempre paro nos olhos. Aquele verde é incrivelmente penetrante, mesmo por foto parece ver até mesmo minha alma. Sempre me senti despida ao vê los, como se não houvesse nada sobre mim que você não soubesse. Lá vou eu de novo, parei de fazer o que tenho que fazer para me perder em você, mas não de novo. Parei de bobeira e resolvi deletar todas, não adianta tentar guardar, manter algo que está claramente destruído. Por mais que seus olhos tentassem me fazer desistir eu deletei. Juntei todos naquela pasta com o titulo "vida" e exclui... Vi minha vida sendo apagada naquele exato momento. Todo um passado, todo um futuro sonhado... Meu coração iria disparar e a sensação de morte era contante, mas bobagem, quem é que já morreu de amor? Ninguém, não é? E eu não vou ser a primeira! Agora vem as músicas, eba, a parte em que a fossa se torna ainda maior. A primeira da lista era "With or Without You", a que melhor descreve a nossa situação, a minha situação. Eu não posso viver com ou sem você! Não posso viver ao seu lado, mas também não sei o que é vida sem a sua companhia. Ok, não vou ouvi-las, melhor fazer como nas outras etapas, apagar sem olhar, a primeira já basta, já dói o suficiente para uma lista de reprodução inteira. Mas quem é que eu quero enganar? Ainda tem aquelas fotos guardadas na caixa preta em cima do guarda roupas, a que contém as melhores lembranças, mas aquelas eu não posso tocar. São como relíquias, memórias de um sentimento forte o bastante para deixar alguém de mãos atadas quando chega o fim. É assim que estou no momento, de mãos atadas, apelando para todos os lados, tentando encontrar razões boas o suficiente para conseguir seguir em frente. Mas chega de fossa, já apaguei tudo, sofri por uma vida e chega uma hora que cansa. Guardei também os filmes, uma comédia (dessa vez não romântica) vai ocupar o lugar do felizes para sempre e vou juntar as roupas em uma parte qualquer do guarda roupas, pelo menos assim ninguém vai desconfiar, vai ser como ando aqui dentro, acabada, despedaçada... Mas por fora boto um sorriso no rosto, afinal a vida segue. Mais dia menos dia alguém aparece e me tira dessa, é assim nos filmes, é assim nos livros e eu espero que seja assim também na minha realidade.

6 comentários:

  1. confesso que no começo da MUITA preguiça de ler por ser grande, mas depois o texto vai ficando interessante. Era o que eu precisava ouvir, quando menos eu espero acho o que eu preciso ouvir.
    Seu blog é lindo *-*
    Bjs loucacompanhia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha lido até o fim e que tenha sido algo que você precisasse ouvir. Obrigada! Beijos :D

      Excluir
  2. Amei o texto... Parabéns. Vc escreve super bem *-*
    Super Beijo
    www.mayhiroi.com

    ResponderExcluir
  3. Eu super amei o texto, to passando por esse processo de tentar esquecer, mas é algo realmente dificil pra mim rs
    Amei seu blog, já ganhou uma leitora, voltarei mais vezes.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Érika! Volta sim, por favor. Esquecer é algo difícil pra todo mundo, mas a gente amadurece depois de algum tempo e consegue transformar a dor em aprendizado. To torcendo pra que você consiga e fique bem. Beijos!

      Excluir